A lenda por trás das lágrimas de sereia, acessórios lapidados pelo mar

16265500_1712948429017376_6082425317652575999_n

‘Lágrimas’ encontradas pela Nathy, da loja Lágrimas de Sereia, em Ubatuba

Não sou muito ligada em jóias, mas adoro aquelas peças em que tem uma história por trás, como anel de formatura ou um presente especial. Acredito que a lembrança que aquela peça traz é mais importante que o valor material, por isso achei muito interessante a história das lágrimas de sereia, já ouviram falar?

Imagine que muitos utensílios de vidro já foram jogados no mar ao longo dos anos e, depois de um tempo, esse pedaços de vidros quebrados acabam sendo lapidados e moldados pelo próprio mar, com o atrito da areia, das ondas, das pedras…esses cacos de vidro acabam se tornando uma espécia de pedra natural, como se fosse uma jóia mesmo.

Pelas fotos dá para ver que as lágrimas de sereia são bem diferentes, algumas brilham mais, outras são foscas, cada uma tem uma cor e um formato diferente. Não existe uma pedra igual a outra, já que todas são lapidadas naturalmente, no mar, e apenas são limpas, furadas e moldadas para serem usadas como colares, brincos ou pulseiras. Não é legal?

18814402_1516374185101522_419188976020637940_n

Colar lindo na cor verde (Foto: Marília Criscolin/Flor do Mar)

Existem artesãos que trabalham coletando e selecionando essas lágrimas se sereia em praias no mundo todo para transformá-las em acessórios com muito cuidado e talento. Vale lembrar que cada peça é única e nem sempre é possível encomendar uma pedra igual a alguma foto que você viu na internet, por exemplo, porque é o mar que fornece a matéria prima, não é algo fabricado em laboratório.

Tudo bem, agora você entendeu na prática o que são as lágrimas de sereia e como elas são únicas, mas de onde vem esse nome? Bom, como tudo que está relacionado ao mar, existem muitas lendas e histórias por trás. Diz a lenda que esse pedaços de vidro são lágrimas de uma sereia que foi banida por Netuno e chora por ter sido afastada do seu amor verdadeiro. Veja que bacana a história:

17203244_1733469533631932_406058521491916884_n

Cada peça é única no formato e na cor

“As sereias podiam mudar o poderosos curso da natureza, mas foram proibidas de fazê-lo por Netuno, Deus do mar. Em uma noite escura, devastada pela tempestade, com velas se rasgando e mastros se quebrando, uma barca lutava para encontrar segurança em uma costa. A barca estava familiarizada com uma sereia que nadava ao seu lado… ela tinha resistido a muitas navegações com o navio e o seu capitão. Enquanto o navio lutava para aguentar os violentos ventos, o capitão perdeu o domínio sobre o mastro, tombando perigosamente perto do mar revolto. Em um instante, a sereia acalmou o vento e domou as ondas, mudando o curso da natureza e salvando a vida de um homem que ela tinha crescido amando de longe. Por causa de seu ato impetuoso, Netuno baniu a triste sereia para as profundezas do oceano, condenando-a por toda a eternidade a nunca voltar à superfície ou nadar com os navios novamente. A partir deste dias, suas lágrimas apareceram nas praias como vidros do mar: tesouros cristalinos em cores mágicas, um lembrete eterno do amor verdadeiro“.

18121656_1469873903084884_8115345506780949170_o

Lindos colares da Flor do Mar

Agora que você sabe tudo sobre as lágrimas de sereia, deve estar curioso para saber onde comprar a sua. Comprei a minha com a Nathy, da Lágrimas de Sereia, lá em Ubatuba/SP. Vale a pena seguir a loja dela nas redes sociais para ver cada peça bonita ela faz.

Para quem é de Araraquara, pode comprar com a Marília, da Flor do Mar, que é revendedora oficial. Ela, inclusive, que fez eu me apaixonar por essa história e fez algumas das fotos lindas deste post. Espero que tenham gostado desse post sobre os mistérios do oceano.

Advertisements

Amando ou odiando Sophia, Girlboss é uma série inspiradora

girlboss-jaqueta

Jaqueta virou amuleto da sorte para Sophia

Comecei a assistir Girlboss, série do Netflix, em um sábado ensolarado. Aproveitei o tempo em que estava fazendo as unhas na frente da televisão para matar a curiosidade. Eu comprei o livro, que conta a história da empresária Sophia Amoruso, há alguns meses, mas acabei lendo só alguns trechos, então não sabia muito o que esperar, mas pela divulgação parecia ser divertida.

Girlboss mostra como Sophia enfrentou aquele momento da vida em que a gente não sabe direito qual rumo profissional seguir e criou uma empresa de sucesso, a Nasty Gal, vendendo roupas vintage. São poucos episódios, bem curtinhos, então assisti tudo em dois dias, cada vez mais ansiosa para saber o desfecho, mesmo sabendo que na vida real tudo tinha dado certo.

girlboss-figurino-jaqueta-bomber-170425-020823

Torci muito para esse romance, mas não rolou

Muita gente odiou e amou Sophia ao mesmo tempo. Não é para menos, ela faz de tudo para alcançar o sucesso, até roubar uma loja de tapetes, por exemplo. No fundo, eu também senti esse sentimento estranho quando via ela fazendo tantas cagadas com o namorado, a amiga e o pai, mas a maior parte de mim torcia para ela conseguir.

Não acho que Sophia seja um exemplo a ser seguido, até porque foi bem arrogante em boa parte da série, mas tem algo nela que faz a gente torcer para que dê tudo certo, sabe? Quando assisti, estávamos criando uma marca no trabalho de conclusão de curso da faculdade, então achei bem interessante acompanhar todo o processo, criação do nome, altos e baixos, evolução do e-commerce, etc.

girlboss-sophia-annie-620x354

Como não amar a melhor amiga de Sophia?

Depois de assistir o último episódio da primeira temporada, senti que Sophia realmente amadureceu, sabe? Valorizou a amiga, deu um passo importante na busca do amor-próprio e começou a ter mais responsabilidade na sua carreira. Sei que na vida real a Sophia saiu da Nasty Gal e a empresa recebeu vários processos trabalhistas (o que indica que Sophia não evoluiu tanto assim, né?), mas a ansiedade é mais forte que eu e quero a segunda temporada logo!

sophiagirlboss-810x540

Sophia Amoruso (de verdade, não a atriz)

O que eu penso é que ninguém é perfeito, ainda mais com 20 e poucos anos. Sophia cometeu muitos erros sim, muitas vezes até infringiu a lei, mas a lição que fica é que temos que ir atrás dos nossos sonhos e se reinventar sempre. Para quem sonha em ter um negócio próprio e/ou trabalhar com moda, a série Girlboss é muito inspiradora e pode te proporcionar muitas ideias. Agora preciso ler o livro para saber mais detalhes dessa história.

Bônus 1: Tem um episódio MUITO legal que mostra um debate e até algumas tretas em um fórum online. Encontraram um jeito muito divertido e diferente de mostrar esse diálogo online.

Bônus 2: A jaqueta icônica da série custou 3,5 mil dólares e foi comprada pela figurinista da série em um site de roupas vintage, assim como a NastyGal. Achei bacana! Aliás, o figurino da série como um todo é muito interessante.

Livro ‘O diabo veste Prada’ mistura ficção com realidade em trama surpreendente

tumblr_n142imRSOK1qjiwlho1_500

Livro ‘O diabo veste Prada’ foi escrito pela jornalista Lauren Weisberger e virou best-seller

Logo após fazer minha inscrição para a faculdade de moda, naquela ansiedade antes do início das aulas, comecei a procurar livros da área para comprar. Na pesquisa, descobri que o famoso filme O diabo veste Prada foi inspirado em um livro. Normalmente, eu gosto de ler o livro antes da adaptação para o cinema, mas como cheguei atrasada, fiquei animada para comprar mesmo assim.

Acontece que o livro foi lançado em 2003, então não encontrei para comprar em nenhuma livraria física ou virtual durante dois anos. Procurei em todo lugar e, sempre que visitava uma livraria, me lembrava de procurá-lo. Quanto mais difícil ficava essa busca, mais curiosa eu ficava para ler. Nesse meio tempo, encontrei A vingança veste Prada, livro que foi lançado na sequência, para comprar – e comprei, mas não li porque não fazia sentido mudar a ordem.

1

Livro foi lançado em 2003 e virou filme três anos depois

Recentemente, acabei entrando em um sebo online, o Estante Virtual, para procurar um livro para um trabalho da faculdade e, como de costume, joguei O diabo veste Prada na busca, só por desencargo de consciência, e encontrei várias opções! Não me pergunte porque não pensei nisso antes, mas só sei que fiquei feliz em descobrir que não existia mais o livro novo para vender, mas muitas pessoas estavam desapegando.

Acabei comprando por um preço bem camarada e recebi meu tão sonhado livro quatro dias depois, em perfeito estado (sou muita chata com livro, odeio que amasse, risque, suje ou rasure de qualquer forma). Eu tinha selecionado outro livro para ler naquela semana, mas logo passei o novato para frente da lista e comecei a ler meio que imediatamente.

235212.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Meryl Streep e Anne Hathaway, na pele de Miranda e Andrea na adaptação para o cinema

Assim que comecei a ler, as cenas do filme vieram na cabeça. Eu não lembrava direito da história porque faz tempo desde que assisti pela última vez (alô Netflix, fica a dica!), então posso dizer que fui surpreendida em cada página. A história é tão rica em detalhes que criei os personagens na minha cabeça e às vezes até esquecia dos atores e das atrizes que interpretaram eles nas telonas.

Para quem não sabe, o livro é escrito por Lauren Weisberger, que tem uma história bem parecida com a de Andrea Sachs, personagem principal do livro. Lauren foi contratada assim que saiu da faculdade como assistente de Anna Wintour, editoria da Vogue Americana, considerada um dos principais nomes da moda no mundo até hoje, já que ela ainda ocupa o mesmo cargo.

Quem já viu o filme lembra: Andrea passa muitos perrengues com sua chefe completamente maluca, que vive em um mundo paralelo de glamour, faz pedidos bizarros e abusa do assédio moral com seus funcionários. Não dá para saber o que é verdade e o que Lauren aumentou no livro, mas não é difícil acreditar nas histórias que conta.

anna-wintour.w750.h560.2x

Anna Wintour, diretora da Vogue americana

Lembrei de alguns chefes que já tive lendo o livro e da pressão que é trabalhar em uma redação. Apesar de Andrea gostar muito de escrever, ela ocupa um cargo totalmente diferente na Runway (revista fictícia do livro), mas dá para ver como funciona a empresa e como todos têm o ego muito inflado.

Outra coisa que me chamou muito a atenção também foi a paranoia de todos da revista para emagrecer e manter-se sempre nos padrões da moda. Os funcionários seguiam regras de moda, maquiagem, comportamento, estética, enfim….era como se o corpo realmente importasse muito mais do que o interior.

Gostei muito do livro, a história me deixou muito curiosa para cada desfecho e li em pouco tempo, ansiosa para saber quando Andrea se livraria daquela chefe doida. Hoje fico pensando no impacto que esse livro teve na época em que foi lançado, na repercussão e se Anna Wintour mudou sua postura no ambiente de trabalho.

Para quem está procurando uma leitura dinâmica e divertida, daquelas que prendem nossa atenção, super indico O diabo veste Prada. Mesmo quem não gosta de moda vai se interessar pelo livro, até porque no começo a personagem principal também não gosta. Para mim, livro bom é aquele em que a gente fica ansioso para ter um tempinho para ler e fica pensando na história e nos personagens durante o dia…então valeu a pena toda a espera, porque a história é realmente bem interessante. Agora comecei a ler A vingança veste Prada, mas isso é assunto para outro post.

5 motivos para você seguir seu sonho de estudar moda

Oi, gente! Hoje vim falar um pouquinho sobre o curso superior de Design de Moda. Aliás, vim falar um pouco sobre seguir nossos sonhos. Sei que muita gente sonha em trabalhar com moda, mas às vezes acaba desanimando por uma série de fatores, né? Sempre fui uma super entusiasta de escolher a carreira de acordo com nosso sonho, mas sei que ainda tem muita gente que prefere uma profissão mais “tradicional” para não se arriscar, por isso reúne uma lista de motivos para você seguir seu sonho e estudar moda. Se você está lendo este post, é porque tem algo dentro de você dizendo para você seguir sua intuição, então vou te ajudar. Vamos lá:


Blog11. Faça o que você gosta

O primeiro motivo é essencial para qualquer profissão. Tudo o que a gente faz com amor fica melhor, independente da profissão. Você já viu algum médico, veterinário, farmacêutico, engenheiro, advogado, etc, trabalhando sem paixão? A gente sente quando a pessoa enfrenta aquele emprego como um qualquer e não como o emprego dos sonhos. Isso é bem nítido e normalmente ocorre porque a pessoa não está fazendo o que realmente gostaria. Se você quer ser modelo, cantor, ator, cineasta, designer de moda…estude e se dedique para alcançar seus objetivos. O mercado de trabalho é difícil para todo mundo, o que diferencia o profissional é a paixão que ele tem pelo o que faz todos os dias.

blog22. Abra seus horizontes
Quando eu decidi fazer minha segunda graduação (a primeira foi em jornalismo), muitas pessoas me perguntaram se era realmente necessário ingressar no ambiente acadêmico de novo. “Não dá pra estudar por conta? Ir numas palestras? Ler muitos livros?”. Só que a graduação, além do diploma, que é muito importante, me oferece uma série de benefícios, que com certeza eu não teria tentando me aperfeiçoar no tema sozinha. A faculdade em si é um poço de sabedoria e informação, basta o aluno saber como aproveitar isso. A gente aprende diariamente com os professores, os trabalhos, as provas, os desfiles, o bate-papo com os colegas de sala que já trabalham na área…eu senti que um mundo novo se abriu pra mim, passei a ter acesso a sites, notícias e informações que antes eu não tinha. Descobri que nada substitui as lições que a gente aprende em sala de aula.

Blog43. Mercado amplo
Entrei na faculdade porque quero ser jornalista especializada em moda, mas descobri que o ramo para quem trabalha com essa área é muito amplo. A gente acha que moda só envolve roupa, sapato e acessórios, mas a verdade é que existem muitas oportunidades para quem é designer de moda. Tem a pessoa que pesquisa as tendências com antecedência, a que desenvolve novas tecnologias no ramo têxtil, a que faz a parte de logística, a que transforma o desenho em um molde, as costureiras, o que pensa na vitrine, que organiza o desfile, que contrata as modelos, que pensa nas cores, no marketing, no contato com o consumidor, no conceito da coleção, que divulga…isso porque estamos pensando em roupa. Agora pensa quem é um designer de moda que faz bolsas, acessórios, estofado de carro, sapatos, etc. Tem muita opção, apesar de muita gente achar que a única opção é ser estilista.
Blog34. Mudanças constantes
Meu primeiro emprego foi em uma empresa que prestava serviço para o Detran. Eu passava o dia coletando assinaturas, tirando fotos 3×4 e pegando as digitais de quem estava tirando sua primeira CNH ou renovando o documento. Nos primeiro meses foi legal, gente nova todo dia e tudo mais, depois eu enjoei de fazer a mesma coisa todo dia. Aquilo não tinha fim. Escolhi o jornalismo porque meu trabalho é diferente diariamente, não é algo monótomo, sabe? Com a moda é assim também, porque ela é muito rápida! Pensa em quantas tendências são lançadas diariamente e em que como as coisas mudam de um ano para o outro. Você pode passar o resto da vida só criando vestidos de casamento mas, acredite, estará se reinventando constantemente para se adaptar com o mercado e as novidades. Nada de emprego sem graça!

blog55. Moda não é supérfluo
Muita gente acha que moda não é importante, que é algo suplérfluo. A primeira coisa que eu aprendi na faculdade, porém, é que moda vai muito além do consumismo. Por trás daquela roupa que você escolheu meio sonolenta para ir trabalhar essa semana, existe alguém pesquisando o melhor tecido para usar no calor, a melhor cor para transmitir o seu sentimento naquele dia, o melhor acabamento para te deixar confortável, um jeito de ressaltar a parte do corpo que você mais gosta e uma maneira de suavizar aquilo que você não gosta muito. Existe alguém que tornou tudo isso possível, desde a ideia até a distribuição para que você pudesse comprar aquela peça. A roupa é nosso cartão de visita e podemos usar ela a nosso favor. Não tem aquele vestido que você coloca quando tá meio para baixo e quer se sentir fabulosa? Aquele shorts mega confortável que você queria poder usar todo dia? A blusinha que nem serve mais e você guarda porque usou naquele show inesquecível? Pois é, moda é muito mais do que a gente pensa, representa a cultura de um povo, o sentimento do dia, uma expressão, um período, a liberdade de uma população…faz parte da nossa história!

Não siga uma carreira considerada mais “tradicional” só porque a gente aprende na escola que algumas profissões são mais estáveis do que outras. Seguir nosso sonhos e nosso coração é o mais importante. São anos estudando e depois muito mais tempo trabalhando, dedique-se para que esse tempo e energia sejam gastos com o que você ama. A vida é muito curta para gastar na profissão errada. E aí, #partiu ser um designer de moda?

Filme Batman Vs Superman inspira coleções de moda

Batman-vs-Superman-A-Origem-da-JustiçaOi, gente! Na semana que vem, mais precisamente no dia 24 de março, estreia o filme Batman Vs Superman – A Origem da Justiça. O filme é super esperado, pelo menos pra quem gosta de histórias de super heróis. Meu pai sempre foi fã do Batman, então aqui em casa todos somos #teambatman. Mas o que eu vim falar para vocês hoje é que algumas marcas se inspiraram no filme e nesse combate entre Batman e Super Homem para criar moda!

Têm algumas peças tão lindas que mesmo quem não acompanha muito a história do filme vai acabar gostando. A Riachuelo, por exemplo, lançou uma coleção super completa, com camisetas, meias, cuecas, luvas, gorros, bonés, tênis, chinelos, jogo de cama, almSem títuloofadas, pijamas, tapetes, fantasias e até utensílios domésticos. Ufa! Dá pra acreditar que tem tudo isso?

Ainda não vi a coleção pessoalmente na Riachuelo de Araraquara, minha cidade, mas estou torcendo para ter muitas opções. O que eu gostei muito foi que eles fizeram peças femininas do Batman, porque normalmente só faziam da mulher maravilha ou da batgirl, ou seja, só das personagens mulheres. Eu adoro camisas cinzas, então me apaixonei por essa, mas têm muitas opções lindas. No site oficial deles dá para ver todas, com os preços. Tem adulto e infantil.

1454.jpg

Outra marca que se inspirou no filme pra criar uma coleção foi a Havaianas, que lançou três modelos de chinelos super bonitos. As peças femininas estão disponíveis nas numerações 33/34 até 40/41, enquanto as masculinas têm do 35/36 até 45/46. Todas já estão à venda online, por R$ 41,90. Ah, além do Batman e do Super Homem, eles também fizeram da Mulher Maravilha. O que acharam? Eu adorei o detalhe da tirinha meio cobre/dourada no chinelo da Mulher Maravilha, super estiloso!

4545587.jpg
Por enquanto, foram essas as duas marcas que descobri que se inspiraram no filme. Têm outras ações também, mas tem mais a ver com carros, táxis e dessa área já não entendo muito pra poder explicar pra vocês. Se eu descobrir mais alguma, volto aqui pra atualizar. E você, gostou de alguma peça? Se ainda não viu, aproveite pra ver o trailer, vale a pena!

Prepare-se para se emocionar e chorar com o livro PS: Eu te amo

Ps.-Eu-te-amoTodo mundo aí já assistiu PS: Eu te amo pelo menos uma vez na vida, né? Ou muitas vezes, como é o meu caso! Kkkkk É um filme que mistura drama, romance, um pouquinho de comédia e que conquistou muita gente, desde que foi lançado em 2007. Para minha surpresa, porém, descobri recentemente que a história foi baseada em um livro, da autora Cecelia Ahern!

Eu amo livros que viram filme, porque dá para a gente ver nas telonas um pouco do que a gente imaginou quando estava lendo, né? Acho tão legal, mesmo quando a adaptação não é muito boa. Mas voltando ao PS: Eu te amo, comprei o livro esses dias por R$ 10 em uma feirinha aqui na minha cidade. Paguei bem barato porque é edição de bolso e comecei a ler logo em seguida.

Sabe aqueles livros que conquistam a gente do começo ao fim? Essa é uma daquelas histórias que fazem a gente ficar pensando durante do dia, ansiosos pra chegar em casa e poder ler o próximo capítulo. E faz a gente chorar, hein!? Minha nossa, não chorava tanto com um livro desde A culpa é das estrelas! Não é exagero, veja o trailer:

 

A história do livro é um pouquinho diferente do filme, mas igualmente linda e emocionante! Vou contar o básico para não dar spoilers: Holly e Gerry se conhecem desde sempre e são casados. Tudo vai bem, planejando viagens, filhos e afins, até que ele descobre que tem um câncer no cérebro e é uma questão de tempo até que, infelizmente, morre (viram porque eu chorei tanto com essa história, gente?).

ps-eu-te-amo

Cena do filme, lançado em 2007

Quando se vê sozinha, Holly precisa lidar com a tristeza e a dor da perda, sem forças para seguir com sua vida, socializar, conseguir emprego e conviver com a família. O que ela não esperava, porém, é que Gerry fez uma lista que ela deve seguir por alguns meses, o que ajuda ela a seguir em frente. Ah, gente, é uma história linda, que faz a gente pensar, rever nossas atitudes e dar mais valor para os pequenos momentos.

Para quem gostou do filme, saiba que vale MUITO a pena ler o livro, é tão lindo quanto e, claro, mais profundo, já que é narrado do ponto de vista de Holly. Para quem ainda não viu o filme, aproveita para assistir depois que ler o livro, tem no Netflix! Achei o livro por R$ 19,90 na Americanas, R$ 20,90 na Saraiva e R$ 27,92 no Submarino.

Jenny Beavan ignora ‘dress code’ e recebe Oscar com look homenageando Mad Max

Jenny Beavan 2A designer e figurinista Jenny Beavan, dos Estados Unidos, recebeu 10 indicações ao Oscar ao longo dos anos e finalmente ganhou sua estatueta em 2016, na 88ª edição do prêmio, pelo trabalho no filme Mad Max: Estrada da Fúria, lançado em 2015.

O trabalho dela deveria ser reconhecido e aplaudido, mas como quase tudo no Oscar, o que é analisado de verdade é a roupa. Dessa vez, Jenny recebeu olhares e até deixou de ser aplaudida por alguns pelo fato de não usar um vestido no Oscar, nem salto e usar o cabelo natural. Ou seja, bem gente como a gente.

Jenny BeavanEla usou calça e jaqueta de couro, além de um cachecol listrado, que lembrou muito o uniforme da Grifinória em Harry Potter, inclusive (quem gosta da saga vai lembrar!). Super confortável, sem ter que se preocupar com um tropeço ou uma transparência no vestido, ela desfilou até o palco sem se preocupar com os olhares e a estranheza das pessoas.

Nos bastidores, ela explicou o porquê da escolha da roupa. “Estou muito feliz em falar sobre isso. Não sou de vestidos e absolutamente não sou de saltos, tenho problemas nas costas. Fico ridícula em um vestido lindo. Essa foi uma homenagem a ‘Mad Max’ (…). [Essa jaqueta] é Marks & Spencer com [bordado] Swarovski nas costas. Tive um problema no sapato e o glitter caiu. Estou me sentindo confortável e, até onde percebo, estou realmente arrumada!”, afirmou.

635560680919636292-MAD-MAX-FURY-ROAD-MOV-jy-1019-Depois de ver os vídeos e as notícias sobre essa premiação, a única coisa que consegui pensar foi: por quê as pessoas se incomodam tanto com a roupa alheia, o cabelo dos outros e até com o sapato, principalmente das mulheres? Poxa vida, ela ganhou um Oscar, tem que ser reconhecida e lembrada pelo seu trabalho, não porque usou um look em homenagem ao filme, ignorando o “dress code” do evento.

Não sou contra usar vestidos, saltos, maquiagem, nem penteados extravagantes. Aliás, ninguém deveria ser. Cada um tem o direito de escolher como quer se vestir, se quer ou não usar maquiagem e o que quer fazer no cabelo. Aquela história de se arrumar para se sentir bem, não para impressionar os outros, sabe?

Jennifer-Lawrence-Oscars-2016Só para citar mais um exemplo rápido, A Jennifer Lawrence usou uma maquiagem super leve e minimalista no Oscar. Uns amaram, outros criticaram e isso é normal, cada um tem sua opinião. Porém, as críticas foram baseadas nas imperfeições da pele, que não foram escondidas por camadas de base. Qual o problema de a pessoa ter espinhas, marcas, sardas, manchas? Nenhuma! Se ela quis algo mais natural, legal pra ela, não cabe a nós julgar, né?

Bom, pra finalizar, vamos falar um pouco sobre o figurino de Mad Max? Tivemos que fazer uma resenha no curso de design de moda no ano passado sobre esse filme e é impressionante como o vestuário diferencia as pessoas no filme. Pela roupa, dá para saber que tipo de poder a pessoa tem. Parabéns à Jenny Beavan pelo talento, pela sensibilidade e coragem. Oscar merecido!