A dor e a delícia de fazer a segunda graduação

img_estresse

Quando eu me formei em jornalismo, em 2013, prometi para mim mesma que nunca mais faria um TCC (Trabalho de conclusão de curso). Só quem já passou por isso sabe como é um processo extenso e estressante. Dá um grande orgulho e alívio quando acaba, mas querer fazer mais uma graduação me pareceu loucura no momento da formatura.

Depois de um ano “de folga” dos estudos, porém, comecei a sentir falta. Aproveitava meu tempo livre à noite para ler, ver séries, filmes, entre tantas outras tarefas que acabei deixando para trás por conta da faculdade. E isso foi  muito bom, claro, mas depois de um tempo senti necessidade de voltar a estudar e usar aquele tempo livre de uma forma mais produtiva.
graduation cap diploma isolated on a white background

Nunca é tarde para estudar e acho que a gente nunca para de aprender, né? Mas sei que começar um curso, graduação, mestrado, pós, especialização, etc, é uma grande responsabilidade e queria aproveitar a oportunidade. Sempre quis estudar moda, mas amo o jornalismo, então minha intenção era unir os dois.

Busquei alternativas para que eu não precisasse começar outra graduação, mas só encontrei especializações e cursos que eram longes ou não batiam com o tempo que eu tinha disponível. Procurei cursos à distância, mas descobri que cursos que unem jornalismo e moda são raros. Após muita pesquisa, tomei a decisão de cursar Design de Moda na mesma faculdade que já tinha estudado.

Agora que o ano terminou e que já me acostumei com a ideia de que vou ter que enfrentar outro TCC, fiz essa listinha de tudo que aprendi na segunda graduação. Espero que ajude todo mundo que também está pensando em voltar aos estudos. Não me arrependi nem um pouco. Vamos lá?

1. Menos paciência para mimimi
Uma coisa que  me incomodou nas primeiras semanas de aula é que eu estava meio sem paciência para o trote, para as aulas repetitivas mostrando como funciona a faculdade e a euforia nada contagiante dos outros alunos querendo sair para beber toda aula. Era um sentimento de “já passei por isso, agora só quero estudar mesmo”. Mas foi questão de tempo para me adaptar e começar a curtir a nova experiência.

2. Mais valor para o estudo
Não que eu não tenha dado valor aos estudos na minha primeira graduação, mas estou sentindo que dessa vez estou mais focada, disciplinada e empenhada. Acho que isso tem a ver com o amadurecimento pessoal mesmo, né? Agora tenho mais responsabilidades do que antes, mais gastos e estou menos deslumbrada com o mercado de trabalho, então a tendência é se concentrar no que realmente importa: aprender.

3. Mais cansativo
Mesmo sabendo aproveitar melhor as aulas e administrar melhor o tempo de estudo, sinto que esse primeiro ano de Design de Moda foi bem mais cansativo que no curso de jornalismo. Talvez seja porque agora tenho trabalhos mais práticos, que exigem muito tempo em casa estudando, mas acho que a rotina de trabalhar de dia e estudar à noite é cansativa para todo mundo, só que quem está fazendo isso pela primeira vez tem um gás a mais. Mas também é questão de tempo até se adaptar.

4. É preciso ter determinação
Por mais cansativo que seja, acredito que está sendo mais fácil absorver o conteúdo das aulas agora do que na primeira graduação. Faz sentido, já que agora não tenho mais só a base do ensino médio para me ajudar. Vamos aprendendo sempre mais e conseguir absorver o que nos é passado vai ficando cada vez mais natural também. O problema, porém, é que é “mais fácil” desistir da segunda graduação. Agora já sou formada, já estou empregada, então ter um segundo diploma não é tanta prioridade como conseguir o primeiro. Por isso, é necessário muita determinação, organização e disciplina para poder enfrentar os problemas e continuar estudando, mesmo tendo a opção de desistir.

5. Mais conhecimento
Além de conseguir a especialização na área que eu quero e melhorar meu currículo, fazer Design de Moda está sendo uma experiência incrível para mim por outro motivo: estou aprendendo muito a abrindo minha cabeça para outros assuntos. Às vezes, a gente fica muito focado em um assunto e não percebe que existe outras profissões, culturas e interesses. Estou descobrindo um novo mundo que eu só conhecia superficialmente e que é mais complexo do que eu pensava. E isso tem a ver com o conhecimento que é passado pelos professores, pelos profissionais que ministram palestras na faculdade e também pelos alunos. Além das amizades que fiz, conheci muita gente que tem muito a oferecer e ensinar também. Não é maravilhoso se manter sempre com a cabeça aberta para aprender coisas novas?

normal_formaturaResumindo o que eu aprendi nesse primeiro ano de Design de Moda e que vou continuar colocando em prática nos próximos anos: a segunda graduação pode ser mais difícil porque você está em outra fase da sua vida e é possível parar a qualquer momento sem grandes danos. Porém, se você decidiu começar, é porque algo dentro de você diz que esse novo conhecimento irá agregar algo bom em sua vida. Então, planeje, seja organizado, focado e disciplinado para enfrentar os novos desafios e conseguir o segundo diploma de uma maneira mais leve e tranquila, sem precisar ficar sofrendo por conta de notas ou frequência no final do ano. Combinado? Bora voltar para as salas de aula!

Editorial de Moda sobre o estilo Pin Up

2015-09-27 ENSAIO MODA PIN UP ALUNAS CURSO DE MODA-2 2Oi, gente! Sei que sumi durante quase dois meses, mas é que essas últimas semanas foram muito corridas para conciliar o trabalho com a faculdade. Nunca imaginei que o curso de Design de Moda tivesse tantos trabalhos práticos e a maioria leva um tempão para ficar pronto.

Durante a feira de cursos lá na faculdade neste ano, percebi que muita gente gostaria de fazer graduação de moda, mas não conhece muito bem o curso. Então achei que seria legal contar um pouquinho mais sobre os trabalhos que fazemos por lá. Quem sabe alguém não anima e seguir carreira, né? (Clique nas fotos para ampliar e ver com a qualidade melhor)

Dessa vez, vou contar um pouquinho sobre o editorial de moda sobre o estilo Pin Up que produzimos para a disciplina Ateliê de Criatividade. A professora Marília Gonzaga criou oito temas, dividiu entre os grupos da sala e a proposta era fazer um ensaio de fotos que pudesse ser publicado em uma2015-09-27 ENSAIO MODA PIN UP ALUNAS CURSO DE MODA-13 revista. As fotos no estilo Pin Up foram originalmente feitas para calendários e posters que ficavam pregados nos armários dos soldados das segunda guerra mundial.

Nós pesquisamos bastante e vimos que o Pin Up engloba mulheres naturalmente sensuais, com curvas e que usam roupas curtas, mas sem necessariamente serem vulgar. A ideia é mostrar cenas simples do cotidiano, como atender o telefone, cozinhar e consertar um carro, mas com glamour. Cabelão enrolado, armado, preso num rabo-de-cavalo, muito delineador e batonzão vermelho. As roupas, justas ou curtas, são geralmente de bolinha ou nas cores vermelho, rosa, azul, preto e branco.

2015-09-27 ENSAIO MODA PIN UP ALUNAS CURSO DE MODA-4O cenário, no caso do editorial de moda, é muito importante. Basta olhar nas revistas e reparar que é sempre escolhido um lugar diferente para mostrar a modelo. Afinal, aquele fundo branco ou preto de estúdio não tem muita graça nesse caso, né? Por isso, pensamos em duas “situações”, mas que pudessem ser realizadas em um lugar só. Escolhemos a frente de um condomínio que têm em Araraquara porque a pista é calma e existe muito verdade. Com isso, criamos um piquenique (acho super fofo!) e aproveitamos a tranquilidade da rua para posar com carros antigos.

Como é trabalho de faculdade, dá para imaginar que não tivemos muito recursos, né? Optamos por contratar um fotógrafo, afinal, não adianta nada produzir uma cena super legal e não conseguir capturar essa beleza através da imagem. O resto, como roupa, maquiagem, acessórios e utensílios para o 2015-09-27 ENSAIO MODA PIN UP ALUNAS CURSO DE MODA-14piquenique, nós improvisamos com o que temos em casa, só compramos itens que a gente fosse usar mesmo, nada de desperdício. Ah, os carros antigos nós emprestamos dos parentes.

Fizemos as fotos em três horas, com muito calor, tempo variando entre solzão e ameaças de chuvas, muitos pernilongos, formigas e diversão. Afinal, imagina 7 mulheres juntas mudando look, maquiagem, criando cenas e conversando…foi cansativo, mas muito divertido e produtivo. Gostei muito! Acho que gostaria de fazer mais sessões de fotos assim se um dia eu tiver oportunidade de trabalhar no ramo. Antes que eu me esqueça, as fotos foram feitas pelo fotógrafo Daniel Barreto, do Estúdio Caixa Preta.

2015-09-27 ENSAIO MODA PIN UP ALUNAS CURSO DE MODAAcho que a parte mais difícil do Pin Up são as caras de bocas, pois a ideia é ser bem artificial mesmo. Fazer carão, seduzir, fingir que está surpresa, aquele sorrisinho forçado…não é aquela risada de verdade, aquele olhar sincero, nada disso. É uma pose bem forçada e plastificada mesmo. Tarefa difícil para quem não é modelo profissional, mas que as meninas tiraram de letra. Espero que tenham gostado das fotos e, vocês terem uma ideia de como foi a nossa sessão de fotos, veja o making off abaixo. Está super divertido! Prometo não demorar tanto para o próximo post, ok? 😉