6 filmes de comédia romântica para ver no Netflix

Eu costumo ver mais séries do que filmes no Netflix, mas dei uma enjoadinha após umas mil maratonas e resolvi me aventurar vendo alguns filmes que não conhecia, mas que apareceram como sugestão pra mim. Aproveitei o carnaval e os dias de folga pra conhecer novas histórias e ver esses filminhos “mamão com açúcar”, que a gente assiste pra relaxar mesmo.

Alguns eu não gostei, ou não me prenderam muito a atenção, mas outro me conquistaram tanto que até fui pesquisar mais depois, ver se foi baseado em um livro pra poder ler e conhecer mais ainda sobre as histórias maravilhosas. Aí resolvi compartilhar as dicas com vocês. Vamos lá?

simplesmente1. O primeiríssimo é Simplesmente Acontece. Ok, sei que não é um filme novo, foi lançado em 2014, mas eu nunca tinha assistido e achei tão lindo! É a história de um casal de amigos que cresce junto e vai passando por todas as etapas da vida. Dá para ver que ambos têm um carinho imenso pelo outro e que podem se apaixonar, mas ocorrem muitas reviravoltas que colocam o final feliz em dúvida. O que achei interessante é que o filme pula muitos anos, então têm muitas mudanças MESMO. Super fofo e divertido, quero ler o livro agora! Alguém já leu?

abouttime-hero2. Cliquei no About Time (pode ser traduzido como Questão de Tempo ou Sobre o Tempo) por acaso e acabei adorando. A história do filme é que os homens de uma família podem viajar no tempo. Então, quando completam uma certa idade, o pai explica como funciona e a brincadeira começa. Achei que era um filminho bem “sessão da tarde” e assisti pra relaxar, mas me surpreeendeu porque além de ser muito divertido, passa uma mensagem super bacana de como aproveitar a vida da melhor maneira. Sabe quando a gente fica pensando depois sobre o assunto? Então…esse é o filme!

adaline3. Por falar em filmes que brincam com o tempo, assisti A incrível história de Adaline. Cliquei por conta da atriz, Blake Lively, a Serena de Gossip Girl, mas o papel que ela faz é totalmente diferente e é impressionamente como ela conseguiu separar as personagens. Adaline sofreu um trauma aos 30 anos de idade e parou de envelhecer. Por manter a mesma aparência por anos e anos, virou alvo de pesquisas e teve que fugir e se esconder. Quando completa 100 anos de idade, ainda com corpinho de 30, cansa de mentir para todos e fugir sempre, mas ainda não sabe como lidar com seu problema. História linda e que tem muitas surpresas, vale a pena pela história e pela atuação da Blake. Realmente parece que é uma idosa no corpo jovem!

remembr4. Não quero parecer repetitiva, mas assisti mais um filme que brinca com o tempo: Como não esquecer essa garota (Em inglês, Remember Sunday). No começo, achei a história bem parecida com o famoso “Como se fosse a última vez”. Um moço tem um problema que faz ele se lembrar apenas de uma parte da sua vida, como infância e começo da vida adulta, o resto ele esquece todos os dias, quando dorme. Só que a história é bem diferente, porque ele tem um sistema que faz ele conseguir seguir a vida, anotando tudo o que é importante para o próximo dia. Só que: ele conhece uma garota e não quer contar esse pequeno detalhe de sua vida e seu sistema dá pane. Não vou falar mais nada para não estragar a surpresa, mas é bem surpreendente e fofo!

qual seu numero5. Em Qual é Seu Número?, uma moça começa a repensar todos seus ex-namorados a procura de sua alma gêmea, tudo porque ela cismou que já foi pra cama com homens o suficiente e não precisa de um homem novo, mas sim alguém que já fez parte da sua vida. Para encontrar todos eles (são muitos!), ela pede ajuda do seu vizinho mulherengo, em troca de uma ajudinha para ele conseguir se livrar das mulheres na manhã seguinte. Tudo isso ocorre enquanto o casamento da irmã é planejado. Bom, nem preciso dizer que é superdivertido, né? Esse é mais comédia, mas também tem seu lado romântico.

love-is-in-the-air-36. Por último, mas não menos importante, indico Amor e Turbulência. Ex-namorados se encontram em um longo voo, após anos sem se falar. Eles começam a discutir a circunstâncias do término do relacionamento enquanto vemos flashes do que aconteceu com eles no passado. É uma curiosidade imensa saber o que aconteceu, o porquê de eles estarem sem se falar há tanto tempo e o que vai acontecer quando o avião pousar. Ah, detalhe, ela já tem outro namorado e a razão da viagem é, inclusive, para vê-lo. Me prendeu muito e a história é bem fora do comum.

Também assisti Sob o Mesmo Céu e Virando a Página, mas não gostei muito, achei as histórias meio fracas, enfim, não me prendeu muito, então por hoje são só esses seis filmes mesmo. Se você quer ver um filminho romântico, daqueles que fazem a gente descansar e distrair um pouco, super indico esses! E vocês, quais filmes do Netflix indicam?

Advertisements

‘Animais Fantásticos e Ondem Habitam’ traz a magia de Harry Potter de volta às telonas

12391244_565021253662119_8673699931813650383_nHoje é um dia muito importante para os fãs de Harry Potter, pois foi divulgado o primeiro pôster e o primeiro trailer do filme “Animais Fantásticos e Onde Habitam”. A internet foi a loucuro logo cedo quando o vídeo entrou no ar no cantal do youtube da Warner. Está realmente lindo e eu fiquei arrepiada só de ouvir a música…quem nunca, né?

Se você está meio perdido sem saber direito sobre o novo filme, não se preocupe que a gente esclarece tudo pra você. “Animais Fantásticos e Onde Habitam” originalmente é um livro, escrito pela JK Rowling, mesma autora de todos os livros do Harry Potter. Nesse livro, ela conta sobre os animais mágicos e suas histórias curiosas.

O filme, porém, não é só uma espécie de enciclopédia sobre os animais mágicos, tem um roteiro totalmente diferente e, por isso, é tão esperado pelos fãs. Se quando a gente sabia o fim faz história, já ficávamos ansiosos, imagina agora que não temos nem ideia do que vai acontecer?

animais-fantasticos-e-onde-habitam_t85764_JPG_640x480_upscale_q90Bom, pra falar a verdade, a gente tem ideia do que vai acontecer sim. O filme “Animais Fantásticos e Onde Habitam” se passa nos anos 1920, 70 anos antes da era Harry Potter, ou seja, do cenários que conhecemos. Isso explica porque os autores que interpretam Harry, Hermione e Rony não vão estar na telonas dessa vez. Faz sentido, né?

Porém, teremos o autor Eddie Redmayne, que dá vida ao magizoólogo Newt Scamander. Sabemos que naquela época manter o sigilo sobre o mundo bruxo era muito mais difícil, já que os “trouxas” (não-bruxos) puniam qualquer tentativa de magia. Nos Estados Unidos, então, a situação era ainda pior do que em Londres.

fantastic-beasts-02_sqevA aventura de Newt Scamander em desvendar esse mundo precisa ser ainda mais corajosa para enfrentar tudos e todos, então. No trailer vemos ele realizando feitiços no meio da rua, com muitas pessoas assistindo. Resta saber como ele chegou naquela situação e porque se arriscou tanto…

Mesmo sendo diferente de tudo que já vimos, o roteiro do filme é criado pela JK Rowling. Ela disse só voltaria ao mundo bruxo se tivesse uma ideia muito boa, daquelas que a gente não consegue tirar da cabeça. Se ela acredita que o caminho seja esse, só nos resta aguentar a ansiedade e nos prepararmos para a pré-estreia, que promete ser tão animada como há quatro anos, quando “Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2” foi lançado.

 

“Animais Fantásticos e Onde Habitam” será lançado no dia 17 de novembro de 2016. O que vocês acharam o trailer? Maravilhoso sim ou com certeza?

Livros e filmes pra entrar no clima natalino

Ah, eu não sei vocês, mas eu amo a época natalina. Os preparativos da ceia, a escolha dos presentes, a decoração e tudo que antecede o 25 de dezembro. Na infância, eu adorava quando começavam a passar os filmes natalinos na TV, era como um aviso oficial de que finalmente o Natal estava chegando. Mas hoje a gente não precisa mais esperar a programação televisiva para entrar no clima natalino, né? Por isso, fiz uma listinha dos filmes e livros pra você curtir ainda mais o final do ano. Vem conferir que vai rolar o primeiro sorteio do blog! Que tal?

k1. Simplesmente amor
Ah, esse filme com certeza é um dos meus preferidos. São várias histórias que se cruzam, incluindo casais, famílias e crianças, todos com algum tipo de problema ou desconfiança e que acabam tendo seu futuro modificados por causa do amor. Tem gente conhecendo o primeiro amor, gente casando, fugindo ou querendo ficar junto. É daquelas misturas que a gente pode até achar previsível, mas no fim se surpreende. Tudo isso com um toque natalino e uma trilha musical mara. A cena do casamento me inspirou a fazer minha primeira tatuagem com uma música dos Beatles…tem romance, tem comédia, tem drama, tem musical, tem como não amar esse filme?

 

3332. Um Natal muito, muito louco
Ai, gente, eu amo esses filmes de comédia que envolvem uma confusão familiar, ainda mais se é na época do Natal. Quem gostava de ver filmes natalinos na TV quando era criança já teve que visto “Um Natal muito, muito louco”, mas sempre é legal rever. O filme conta a história de uma família que adora enfeitar a casa e competir com os vizinhos quem tem a melhor decoração. Quando a filha fica mais velha, porém, resolve passar o final de ano viajando em um projeto voluntário e os pais preferem gastar o dinheiro da festa com uma viagem para o Caribe.

O casal decide ignorar todos os sinais natalinos, até que a filha muda de ideia, resolve passar o Natal em casa e eles têm só 12 horas para promover uma festa dos sonhos. É uma confusão muito louca e divertida mesmo, vale a pena pelas risadas e pela mensagem que fica. Uma boa opção pra assistir com a família, inclusive.

 

favor33. O expresso polar
Assisti esse filme recentemente no Netflix e me apaixonei. “O expresso polar” conta a história de um menino que está naquela fase de começar a desacreditar do Papai Noel, até que um trem misterioso estaciona em sua porta na véspera de Natal e leva algumas crianças para o Polo Norte. A partir daí, começa uma incrível aventura para chegar na casa do bom velhinho antes da meia-noite. Fiquei encantada porque o filme trata o assunto com muita sensibilidade, abordando assuntos que devem passar pela cabeça de toda criança. A mensagem que fica é linda! Vale a pena para crianças, adultos, tenho certeza que o expresso polar vai conquistar todo mundo!

 

images.livrariasaraiva.com.br4. Deixe a neve cair
Comprei esse livro no final de 2014, quando estava começando a conhecer as obras do John Green, e não me arrependi. “Deixe a neve cair” é um livro escrito a seis mãos, pois também tem a participação dos autores Maureen Johnson e Lauren Myracle. Tudo começa com uma grande tempestade que muda todos os planos da noite de Natal, seja um jantar familiar, o reencontro de um casal ou a farra de amigos.

São três contos natalinos com muitas reviravoltas e muito amor. Me surpreendi muito com o final e com a capacidade de interligar as histórias, já que são três autores diferentes. Confesso que ler em dezembro tem um gostinho especial pois todo o clima de Natal mostrado nas páginas do livro fazem mais sentido, então resolvi aproveitar a oportunidade e fazer o primeiro sorteio do blog com uma edição desse livro lindo e que adoro. Não deixe de participar, quem sabe esse não é seu primeiro presente de Natal?

Para participar da promoção, você precisa:

1. Curtir a página “Nuvem das ideias” no Facebook
2. Compartilhar esse post de modo público no Facebook
3. Clicar no botão verde escrito “quero participar” no sorteie.me
4. Ter endereço no Brasil

O sorteio será realizado no dia 20 de dezembro e o frete é por conta nossa. Não deixe de participar…boa sorte!

Manequim decorativo inspirado em Yemanjá

IMG_2514

Oi, gente! Em outro post comentei que iria falar um pouquinho sobre os trabalhos que fazemos na faculdade de Design de Moda, pois acho que o processo é tão interessante quanto o resultado final e às vezes pode ajudar alguém que está pensando em entrar nessa área, né? Dessa vez vou contar como fiz um manequim de gesso inspirado em Yemanjá.
postal-Iemanja-1
O trabalho interdisciplinar foi proposto pelas disciplinas “Ateliê de criatividade” e “Aspectos sócio-culturais do vestuário”. A ideia era abordar a cultura afro no Brasil, levando em consideração o racismo e também o que aprendemos com isso. Escolhi Yemanjá pois é uma das deusas do candomblé e talvez seja a mais conhecida por aqui. Além disso, até hoje rola muito preconceito e achei interessante poder me inspirar nesse tema.

Fizemos um manequim e um painel semântico sobre o mesmo tema. A base do manequim é de gesso, desse que a gente usa quando quebra o braço mesmo. É um material simples de trabalhar, apesar de ser trabalhoso e demandar alguns truques para evitar danos no futuro. Além do gesso, que foi moldado em um manequim de plástico, também usei massa corrida (a mesma usada em construções) para dar acabamento e reforçar a estrutura.

Com a base pronta, pintei todo o manequim com tinta própria para artesanato da cor marrom, com a intenção de retratar a pele negra. Para enfeitar o manequim, usei itens que são naturalmente relacionados com Yemanjá em formato de ondas, já que era proibido “vestir” a peça, ou seja, não podia inventar uma espécie de roupa, tinha que ser uma decoração pensando no conjunto. Vamos lá:

 

1. Areia
No Brasil, Yemanjá é conhecida como a rainha dos mares, apesar de ter uma relação muito mais ampla com a água. Por isso, optei por fazer uma misturinha de areia, cola branca e água, criando uma espécie de massinha que grudou no manequim. Também coloquei glitter, o que deu um ar mais místico e delicado para o material que é bem rústico. Como a superfície não é reta, achei bem difícil grudar tudo, mas no fim deu certo e o efeito ficou legal.

IMG_41152. Conchas
Além de seguir a onda de elementos da praia, optei por usar as conchas porque encontrei várias ilustrações de Iemanjá em que elas aparecem. Além disso, eu tinha uma pequena coleção de conchas em casa, que fui coletando desde a infância quando ia para praia. Misturando formas e tamanhos, colei todas que eu tinha com cola de silicone fria, que parece muito com a “cola quente”, que muita gente deve conhecer, mas faz menos sujeira e não queima a mão, então achei mais prática. A maior dificuldade foi encontrar conchas que se encaixassem em cada superfície, optei pelas maiores quando o espaço era mais reto e pelas menores nas curvas.

pérolas3. Pérolas
Usei centenas de pérolas para fazer o manequim, na verdade, comprei aquelas que já vêm cortadas no meio, o que deu um efeito mais legal e facilitou na hora de colar. Usei a mesma cola de silicone fria e foi bem mais fácil do que as conchas, apesar de mais trabalhoso, já que são pequenininhas. Além de também ter relação com a praia, a pérola costuma ser usada em algumas ilustrações de Iemanjá também. Gostei do resultado e acabei usando mais do que outros elementos.

IMG_41164. Flores
A religião diz que Iemanjá costumava carregar flores brancas e, no Brasil, muita gente usa essa ideia para prestar homenagens. Comprei flores azuis também porque não queria que o manequim ficasse todo com elementos brancos, então achei que deu uma cor a mais. Comprei essas de tecido que são bem pequenas, mas usei só em alguns detalhes, pois além de serem caras, são muito difíceis de colar. A base da florzinha que comprei não era muito reta e tinha que ficar segurando por 1 minuto senão caia, então não colei tantas quanto eu planejei, mas achei que ficou bem delicado e depois de secar não corria mais o risco de desgrudar.

espelhos5. Espelhos
Pelo o que li, Yemanjá é considerada a mãe de todos os seres e, por isso, pode ajudar na trajetória de cada um. Ela sempre carrega um espelho na mão para simbolizar que todos podem se espelhar nela. Sendo assim, comprei 2 metros de espelhos pequenos. Eles vêm grudadinhos, aí tive que separar todos, tirar as rebarbas que às vezes sobram e colar um por um com cola branca, mas sem sujar o espelho, senão parava de refletir e não ficava mais tão bonito. Acho que foi a parte mais trabalhosa, pois tinha que colar bem devagar mesmo e eles são muito piticos. Não quero ver espelhinhos por muito tempo, rs.

Para dar acabamento, coloquei algumas fitinhas de paetê para separar os elementos e passei verniz em tudo, com ajuda de um pincél bem fininho. IMG_2556Isso ajudou a iluminar a peça, até as conchinhas ficaram mais bonitas e senti que tudo ficou mais reforçado também. No topo do manequim, coloquei uma conchinha diferenciada, conhecida como peça de búzios, pois também é bem característico da religião. Meu vô Paulo fez o tripé de madeira pra mim e eu só pintei de dourado para ficar mais delicado.

Gostei muito do resultado final, no total foram três semanas para fazer tudo, da base ao acabamento. Depois de apresentar para os professores, os manequins produzidos pelos alunos serão expostos no Shopping Jaraguá e aí podemos pegar de volta. Nunca tinha pensando nisso, mas achei que é uma peça super legal para decorar um ambiente. Além disso, dá para fazer com o tema que você escolher e é bem fashionista. Gostaram?

A dor e a delícia de fazer a segunda graduação

img_estresse

Quando eu me formei em jornalismo, em 2013, prometi para mim mesma que nunca mais faria um TCC (Trabalho de conclusão de curso). Só quem já passou por isso sabe como é um processo extenso e estressante. Dá um grande orgulho e alívio quando acaba, mas querer fazer mais uma graduação me pareceu loucura no momento da formatura.

Depois de um ano “de folga” dos estudos, porém, comecei a sentir falta. Aproveitava meu tempo livre à noite para ler, ver séries, filmes, entre tantas outras tarefas que acabei deixando para trás por conta da faculdade. E isso foi  muito bom, claro, mas depois de um tempo senti necessidade de voltar a estudar e usar aquele tempo livre de uma forma mais produtiva.
graduation cap diploma isolated on a white background

Nunca é tarde para estudar e acho que a gente nunca para de aprender, né? Mas sei que começar um curso, graduação, mestrado, pós, especialização, etc, é uma grande responsabilidade e queria aproveitar a oportunidade. Sempre quis estudar moda, mas amo o jornalismo, então minha intenção era unir os dois.

Busquei alternativas para que eu não precisasse começar outra graduação, mas só encontrei especializações e cursos que eram longes ou não batiam com o tempo que eu tinha disponível. Procurei cursos à distância, mas descobri que cursos que unem jornalismo e moda são raros. Após muita pesquisa, tomei a decisão de cursar Design de Moda na mesma faculdade que já tinha estudado.

Agora que o ano terminou e que já me acostumei com a ideia de que vou ter que enfrentar outro TCC, fiz essa listinha de tudo que aprendi na segunda graduação. Espero que ajude todo mundo que também está pensando em voltar aos estudos. Não me arrependi nem um pouco. Vamos lá?

1. Menos paciência para mimimi
Uma coisa que  me incomodou nas primeiras semanas de aula é que eu estava meio sem paciência para o trote, para as aulas repetitivas mostrando como funciona a faculdade e a euforia nada contagiante dos outros alunos querendo sair para beber toda aula. Era um sentimento de “já passei por isso, agora só quero estudar mesmo”. Mas foi questão de tempo para me adaptar e começar a curtir a nova experiência.

2. Mais valor para o estudo
Não que eu não tenha dado valor aos estudos na minha primeira graduação, mas estou sentindo que dessa vez estou mais focada, disciplinada e empenhada. Acho que isso tem a ver com o amadurecimento pessoal mesmo, né? Agora tenho mais responsabilidades do que antes, mais gastos e estou menos deslumbrada com o mercado de trabalho, então a tendência é se concentrar no que realmente importa: aprender.

3. Mais cansativo
Mesmo sabendo aproveitar melhor as aulas e administrar melhor o tempo de estudo, sinto que esse primeiro ano de Design de Moda foi bem mais cansativo que no curso de jornalismo. Talvez seja porque agora tenho trabalhos mais práticos, que exigem muito tempo em casa estudando, mas acho que a rotina de trabalhar de dia e estudar à noite é cansativa para todo mundo, só que quem está fazendo isso pela primeira vez tem um gás a mais. Mas também é questão de tempo até se adaptar.

4. É preciso ter determinação
Por mais cansativo que seja, acredito que está sendo mais fácil absorver o conteúdo das aulas agora do que na primeira graduação. Faz sentido, já que agora não tenho mais só a base do ensino médio para me ajudar. Vamos aprendendo sempre mais e conseguir absorver o que nos é passado vai ficando cada vez mais natural também. O problema, porém, é que é “mais fácil” desistir da segunda graduação. Agora já sou formada, já estou empregada, então ter um segundo diploma não é tanta prioridade como conseguir o primeiro. Por isso, é necessário muita determinação, organização e disciplina para poder enfrentar os problemas e continuar estudando, mesmo tendo a opção de desistir.

5. Mais conhecimento
Além de conseguir a especialização na área que eu quero e melhorar meu currículo, fazer Design de Moda está sendo uma experiência incrível para mim por outro motivo: estou aprendendo muito a abrindo minha cabeça para outros assuntos. Às vezes, a gente fica muito focado em um assunto e não percebe que existe outras profissões, culturas e interesses. Estou descobrindo um novo mundo que eu só conhecia superficialmente e que é mais complexo do que eu pensava. E isso tem a ver com o conhecimento que é passado pelos professores, pelos profissionais que ministram palestras na faculdade e também pelos alunos. Além das amizades que fiz, conheci muita gente que tem muito a oferecer e ensinar também. Não é maravilhoso se manter sempre com a cabeça aberta para aprender coisas novas?

normal_formaturaResumindo o que eu aprendi nesse primeiro ano de Design de Moda e que vou continuar colocando em prática nos próximos anos: a segunda graduação pode ser mais difícil porque você está em outra fase da sua vida e é possível parar a qualquer momento sem grandes danos. Porém, se você decidiu começar, é porque algo dentro de você diz que esse novo conhecimento irá agregar algo bom em sua vida. Então, planeje, seja organizado, focado e disciplinado para enfrentar os novos desafios e conseguir o segundo diploma de uma maneira mais leve e tranquila, sem precisar ficar sofrendo por conta de notas ou frequência no final do ano. Combinado? Bora voltar para as salas de aula!

Vic Ceridono lança livro que é um guia de maquiagem para vida real

IMG_1456

Vic e Eu, na Loja Ammirati, em Ribeirão Preto

Quem aí conhece a Victoria Ceridono, do blog Dia de Beauté? Ela é jornalista, editora de moda da Vogue Brasil e atualmente mora em Londres. Ela escreve sobre muita coisa legal em seu blog, mas a maioria é sobre maquiagem. Você pode pensar que ela é mais uma que faz tutorial de make na internet, mas o estilo dela é bem diferente.

Ela fala sobre maquiagens “da vida real”, ou seja, ensina o básico, mostra suas próprias maquiagens para ir em casamentos, festas ou simplesmente para almoçar com a família num domingo. Eu, que gosto muito de maquiagem, mas não sou muito viciada, gosto dos vídeos porque ela ensina truques simples de fazer a pele, contorno, batom vermelho, delineador (a vilã de toda make express! kkkk) e muito mais.

livro-ddb

Capa do livro. Super fofa!

Além do conteúdo ser muito bacana, ela também é super fofa. Sempre senti como se ela fosse minha amiga de verdade, só não soubesse hahah pois os vídeos dela são super naturais, espontâneos e sem edição cheia de frufru. E ela fala bastante, não quer fazer vídeo curto só pra mostrar o básico. Então é como se fosse um bate-papo mesmo.

A Vic lançou seu primeiro livro, o “Dia de Beauté – Um guia de maquiagem para a vida real” e não podia ser mais a cara dela, desde a capa até os detalhes. Logo quando lançou, fiquei louca para comprar um, pois sou apaixonada por livros e adoro quando o conteúdo que eu gosto na internet vira páginas em um lindo livro para eu guardar para sempre.

Cheguei a comprar o livro autografo pela internet, mas fiquei muito feliz quando soube que ela faria um lançamento em Ribeirão Preto, pouco mais de uma hora de Araraquara, onde eu moro. Consegui ver ela no dia e fiquei chocada de ver como ela é alta, magra e tem a pele mara que tanto vemos nos vídeos kkkk ela é super fofa, tanto quanto parece pelos vídeos.

IMG_1468

Livros expostos no dia do lançamento em Ribeirão

A fila foi rápida e 15 minutos depois que cheguei já estava abraçando a Vic e ganhando meu autógrafo especial. Quando acabou, não consegui ir embora, pois era estranho imaginar que eu queria tanto conhecer ela e fui embora sabendo que ela estava tão perto. Sentei do lado e fiquei vendo a fila andar…depois que mais de uma hora lá só observando e vendo as meninas surtando assim como eu, percebi que a Vic é super humilde e divertida.

Ela estava em uma correria louca viajando pelo Brasil, imagino que praticamente sem dormir e tratou todo mundo igual, com muita fofura e simpatia, desde as donas da loja onde foi realizado o evento até as funcionárias que estavam servindo as bebidas. Fiquei encantada! É legal quando a gente imagina que uma pessoa famosa é e depois não se decepciona, né?

Livro-Dia-de-Beauté-da-Vic-Ceridono

Vic linda em uma das fotos para o livro

Sobre o livro, fiquei mais encantada ainda! É de capa dura, cheio de fotos, ilustrações e outras fofurices. Tem tutorial, textos, dicas, fotos e é realmente um guia super completo e definitivo. Super útil tanto para quem é expert em maquiagem quanto quem só passa um rímel, batom e nem se arrisca no delineado gatinho.

Para quem quiser comprar, está vendendo na Livraria Cultura, Livraria Folha, Submarino, Amazon, Saraiva e Livraria da Travessa. Custa entre R$ 55 e R$ 80, dependendo do lugar, e também têm nas livrarias físicas. Para quem quiser acompanhar a agenda dos lançamentos pelo Brasil e mais notícias do livro, tem uma página especial no blog dela que conta tudo. Vale a pena, gente! Abaixo, o making off pra vocês verem o nível de fofura do livro:

Editorial de Moda sobre o estilo Pin Up

2015-09-27 ENSAIO MODA PIN UP ALUNAS CURSO DE MODA-2 2Oi, gente! Sei que sumi durante quase dois meses, mas é que essas últimas semanas foram muito corridas para conciliar o trabalho com a faculdade. Nunca imaginei que o curso de Design de Moda tivesse tantos trabalhos práticos e a maioria leva um tempão para ficar pronto.

Durante a feira de cursos lá na faculdade neste ano, percebi que muita gente gostaria de fazer graduação de moda, mas não conhece muito bem o curso. Então achei que seria legal contar um pouquinho mais sobre os trabalhos que fazemos por lá. Quem sabe alguém não anima e seguir carreira, né? (Clique nas fotos para ampliar e ver com a qualidade melhor)

Dessa vez, vou contar um pouquinho sobre o editorial de moda sobre o estilo Pin Up que produzimos para a disciplina Ateliê de Criatividade. A professora Marília Gonzaga criou oito temas, dividiu entre os grupos da sala e a proposta era fazer um ensaio de fotos que pudesse ser publicado em uma2015-09-27 ENSAIO MODA PIN UP ALUNAS CURSO DE MODA-13 revista. As fotos no estilo Pin Up foram originalmente feitas para calendários e posters que ficavam pregados nos armários dos soldados das segunda guerra mundial.

Nós pesquisamos bastante e vimos que o Pin Up engloba mulheres naturalmente sensuais, com curvas e que usam roupas curtas, mas sem necessariamente serem vulgar. A ideia é mostrar cenas simples do cotidiano, como atender o telefone, cozinhar e consertar um carro, mas com glamour. Cabelão enrolado, armado, preso num rabo-de-cavalo, muito delineador e batonzão vermelho. As roupas, justas ou curtas, são geralmente de bolinha ou nas cores vermelho, rosa, azul, preto e branco.

2015-09-27 ENSAIO MODA PIN UP ALUNAS CURSO DE MODA-4O cenário, no caso do editorial de moda, é muito importante. Basta olhar nas revistas e reparar que é sempre escolhido um lugar diferente para mostrar a modelo. Afinal, aquele fundo branco ou preto de estúdio não tem muita graça nesse caso, né? Por isso, pensamos em duas “situações”, mas que pudessem ser realizadas em um lugar só. Escolhemos a frente de um condomínio que têm em Araraquara porque a pista é calma e existe muito verdade. Com isso, criamos um piquenique (acho super fofo!) e aproveitamos a tranquilidade da rua para posar com carros antigos.

Como é trabalho de faculdade, dá para imaginar que não tivemos muito recursos, né? Optamos por contratar um fotógrafo, afinal, não adianta nada produzir uma cena super legal e não conseguir capturar essa beleza através da imagem. O resto, como roupa, maquiagem, acessórios e utensílios para o 2015-09-27 ENSAIO MODA PIN UP ALUNAS CURSO DE MODA-14piquenique, nós improvisamos com o que temos em casa, só compramos itens que a gente fosse usar mesmo, nada de desperdício. Ah, os carros antigos nós emprestamos dos parentes.

Fizemos as fotos em três horas, com muito calor, tempo variando entre solzão e ameaças de chuvas, muitos pernilongos, formigas e diversão. Afinal, imagina 7 mulheres juntas mudando look, maquiagem, criando cenas e conversando…foi cansativo, mas muito divertido e produtivo. Gostei muito! Acho que gostaria de fazer mais sessões de fotos assim se um dia eu tiver oportunidade de trabalhar no ramo. Antes que eu me esqueça, as fotos foram feitas pelo fotógrafo Daniel Barreto, do Estúdio Caixa Preta.

2015-09-27 ENSAIO MODA PIN UP ALUNAS CURSO DE MODAAcho que a parte mais difícil do Pin Up são as caras de bocas, pois a ideia é ser bem artificial mesmo. Fazer carão, seduzir, fingir que está surpresa, aquele sorrisinho forçado…não é aquela risada de verdade, aquele olhar sincero, nada disso. É uma pose bem forçada e plastificada mesmo. Tarefa difícil para quem não é modelo profissional, mas que as meninas tiraram de letra. Espero que tenham gostado das fotos e, vocês terem uma ideia de como foi a nossa sessão de fotos, veja o making off abaixo. Está super divertido! Prometo não demorar tanto para o próximo post, ok? 😉